Dr. Alan Landecker - Cirurgia Plástica e Clínica de Estética

A Clínica
Lipoaspiração Antes Lipoaspiração Técnica Lipoaspiração Depois

Lipoaspiração

Atualmente,a lipoaspiração é o procedimento mais realizado em cirurgia plástica. Desenvolvida há cerca de 30 anos, a lipoaspiração oferece vantagens significativas sobre os outros métodos de cirurgia do contorno corporal. A mais importante delas refere-se às cicatrizes, que são muito menores (em torno de 1 cm) e ficam praticamente imperceptíveis devido ao posicionamento das incisões em áreas estratégicas do corpo, como nas dobras naturais da pele.


A lipoaspiração visa remover os depósitos de gordura que habitualmente localizam-se nos quadris, coxas, abdome, joelhos e no pescoço. Muitos se perguntam porque a gordura tende a acumular-se especificamente nestas regiões. Nas mulheres, o estrógeno contribui para a formação de depósitos principalmente nos glúteos e culotes, visando oferecer energia extra durante a gravidez e o aleitamento. Nos homens, as influências hormonais levam à deposição de gordura principalmente na região abdominal e na cintura. Portanto, pacientes com gordura localizada e que não respondem a programas de dieta e exercícios são candidatos ideais para esta cirurgia. Vale lembrar que o procedimento não substitui os bons hábitos de alimentação, exercícios e não deve ser indicado em pacientes obesos que consideram-no a “salvação” em termos de perda de peso. Ou seja, a lipoaspiração não deve ser realizada para emagrecer. O ideal é realizar a lipoaspiração em pacientes que estão muito próximos do peso ideal e que possuem pequenos excessos de gordura localizada.


Apesar de sua popularidade, a lipoaspiração deve ser cuidadosamente indicada, pois os resultados dependem principalmente da capacidade de retração da pele no local tratado após a remoção da gordura. Esta retração costuma ser mais intensa em pacientes jovens com pele espessa e sem flacidez. Nos casos onde há flacidez de pele além dos depósitos de gordura, procedimentos envolvendo a retirada desta pele (além da gordura) são necessários. Nestes pacientes, a simples remoção da gordura utilizando a lipoaspiração tenderá a acentuar as rugas e dobras decorrentes da flacidez da pele, gerando resultados insatisfatórios. Infelizmente, as irregularidades e depressões causadas pela “celulite” podem não ser eliminadas pela lipoaspiração, embora possa haver algum grau de melhora na aparência estética da região tratada devido à quebra das traves de fibrose que causam as depressões características.
O interessante é que o número e/ou proporção de homens que procuram a lipoaspiração tem aumentado ao longo dos anos.

Cirurgia de Lipoaspiração

A lipoaspiração é realizada através de incisões localizadas nas dobras de pele ou em locais onde as cicatrizes resultantes ficarão praticamente imperceptíveis. A lipoaspiração começa com a injeção de uma solução chamada “tumescente” na gordura abaixo da pele. Esta solução, que contém soro fisiológico, adrenalina e um anestésico local, minimiza a perda de sangue, o inchaço e as dores durante o pós-operatório. Além disso, o tecido gorduroso fica mais frouxo, facilitando o processo de lipoaspiração. O resultado final é o aumento da segurança e eficácia da lipoaspiração, permitindo a retirada de volumes de gordura progressivamente maiores com maior conforto ao paciente. A recuperação após a cirurgia também é mais tranquila.


A segunda fase da lipoaspiração consiste da aspiração de gordura utilizando cânulas ôcas de diferentes tamanhos para modelar as regiões tratadas. Em geral, a cirurgia começa com cânulas de maior diâmetro e as cânulas mais finas são utilizadas posteriormente na moldagem final da região. Através da criação de túneis e de movimentos de vai-e-vem, a cânula deve aspirar os depósitos de gordura profunda localizados abaixo da pele de forma uniforme, evitando assim o aparecimento de irregularidades no contorno corporal. A lipoaspiração superficial deve ser evitada, pois pode causar ondulações e depressões que podem ser impossíveis de corrigir. Em casos onde a correção é possível, enxertos de gordura são realizados para tentar nivelar as regiões afetadas.


Finalmente, a lipoaspiração pode ser associada a outros procedimentos como a cirurgia de face, abdomen e mamas para refinar o resultado final.

Recuperação da Cirurgia de Lipoaspiração

Pacientes submetidos à lipoaspiração devem manter repouso absoluto durante os primeiros dias, ingerindo grande quantidade de líquidos isotônicos para repor os fluidos perdidos durante a lipoaspiração. O paciente deve evitar levantar-se rapidamente e realizar qualquer esforço, pois a ocorrência de tonturas é bastante freqüente neste período devido à queda de pressão arterial.


O inchaço é normal após a lipoaspiração e começará a melhorar após 1-2 semanas, assim como as manchas roxas. Estas manchas podem desaparecer mais rápidamente se o paciente utilizar cremes específicos que contém substâncias como a Vitamina K. É fundamental proteger-se do sol por pelo menos 2 meses, para evitar a ocorrência de manchas na pele. Visando acelerar a reabsorção do inchaço e auxiliar a cicatrização dos tecidos, uma cinta de suporte deve ser utilizada por cerca de 4-6 semanas. A realização de fisioterapia é recomendada pelos mesmos motivos e pode ajudar a evitar o aparecimento de irregularidades e depressões nas áreas tratadas. Como na maioria das cirurgias plásticas, o contorno final só pode ser apreciado após pelo menos 2-3 meses.


Finalmente, os pontos são normalmente removidos após 7-10 dias e o retorno às atividades físicas é permitido 3-4 semanas após a lipoaspiração.

Lipoaspiração Clínica do dr. Alan Landecker >

Compartilhe Linkedin

Dr. Alan Landecker

  • Formado em Medicina pela Universidade de São Paulo (FMUSP), CRM-SP 87043.
  • Formado em Cirurgia Geral no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (FMUSP).
  • Formado em Cirurgia Plástica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (Serviço do Professor Ivo Pitanguy) e na Clínica Ivo Pitanguy.
  • Reconhecimento do diploma médico nos EUA (ECFMG/USMLE).
  • Estagiário clínico-cirúrgico e de pesquisa nas Universidades de Miami, Alabama at Birmingham, Pittsburgh, Chicago, Nova York e Texas Southwestern, EUA.
  • Especializado em rinoplastia estruturada primária e secundária (Rhinoplasty Fellow) pela University of Texas Southwestern at Dallas, Texas, EUA, sob o Dr. Jack P. Gunter.
  • Instrutor do Dallas Rhinoplasty Symposium, curso anual teórico-prático em rinoplastia, realizado anualmente em Dallas, Texas, EUA, 2006-2008.
  • Especialista em Cirurgia Plástica e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).
  • Consultor científico na área de Cirurgia Plástica da revista Men´s Health Brasil.
  • Editor da parte de rinoplastia no site da PSEN (Plastic Surgery Education Network), site educacional oficial da ASPS (American Society of Plastic Surgery).
  • Membro da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS).
  • Membro da Rhinoplasty Society (Sociedade Internacional de Rinoplastia).
Consulte o Curriculum Vitae do Dr. Alan Landecker para obter: participação em congressos, lista de aulas sobre rinoplastia estruturada primária e secundária em congressos nacionais e internacionais, lista de publicações científicas em revistas e sites nacionais e internacionais, lista de autoria de capítulos no livro “Dallas Rhinoplasty: Nasal Surgery by the Masters, 2nd Edition", Editora QMP, EUA e autoria de livros sobre a especialidade de Cirurgia Plástica.

Acompanhe tudo sobre Rinoplastia, Cirurgia Plástica e Clínica de Estética seguindo nossas comunidades no Facebook:

Endereço

Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 2738
Jardim Paulistano CEP 01442-002 - São Paulo - SP - Brasil
Telefone: (11) 3032-9977